Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

húmus de feijão branco com alcachofras e pinhões, o meu presente de natal para as tias mistério

O húmus está para a minha vida assim como o incenso estava para a vida do Belchior. Eu sei... quem ofereceu incenso foi o Gaspar... mas eu também não gosto de fazer o húmus tradicional, por isso vejo-me mais como o Belchior que queria mesmo era ter oferecido incenso e teve de dar ouro. Mas o melhor é parar com as analogias natalícias e passar às realidades culinárias.

Este ano, eu vou distribuir frascos de húmus por toda a Família Mistério. Em vez de dar o habitual par de meias às tias, aos tios e aos primos mistério, vou disseminar frascos de húmus por toda a família. Adoro comer húmus como entrada. Adoro espalhar húmus por cima de tostas fininhas. Adoro mergulhar chips de batata doce em húmus. E adoro ainda mais variar as receitas. Foi por isso que fiquei encantado com esta maravilhosa criação do blog Heartbeet Kitchen: um húmus de feijão branco com alcachofras e pinhões. Quem é que resiste a esta delícia? Ainda por cima, é mais fácil de fazer do que descobrir um novo administrador da Caixa Geral de Depósitos a cada mês que passa.

Para fazer esta maravilha, só vou precisar de feijão branco de lata, alho sem a parte do meio, molho tahini, azeite, um pouco da água de conserva retirada da lata de feijão, sumo de limão espremido, flor de sal e pimenta preta moída no momento. Para o topping, tenho de ter de salsa, pinhões tostados, especiarias a gosto e corações de alcachofras. Para saber as quantidades certas de cada ingrediente, consulte a receita original aqui.

white-bean-hummus-3.jpg

 

panquecas holandesas: quem sabe o que são estas maravilhas feitas no forno?

Parece um post d’ Ele mas olhe que não. Sou eu, a Ela, que vos escreve, porque não resisti a partilhar aqui esta incrível receita do blog In My Red Kitchen. Mas sou obrigada a concordar com o meu querido Marido Mistério que um bocadinho de cultura gastronómica não mata ninguém. As chamadas panquecas “Dutch Baby” surgiram pela primeira vez, na primeira metade do século XX, num café familiar de um senhor chamado Victor Manca, em Seattle, nos EUA.

Na verdade, estas panquecas são de origem alemã e o seu nome terá sido uma interpretação de uma das filhas de Victor que em vez de “deutsch” terá dito “dutch”. E terão sido precisamente aqui que nasceram as “dutch babies”, umas fantásticas panquecas feitas no forno e muito leves e fofinhas. Depois deste pequeno momento José Hermano Saraiva, passo a explicar a receita.

Só precisa de ovos, leite, farinha, extrato de baunilha, sal e manteiga. Se quiser saber as quantidades certas de cada ingrediente espreite aqui a receita original.

Perfect-Dutch-baby-pancake-2-inmyredkitchen.jpg