Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

já fomos à novíssima esplanada no chiado, ideal para um almoço leve de verão

13680791_1824430401109299_2201483273091035823_n.jp

Apesar do calor abrasador dos últimos dias, não resistimos a ir espreitar o recentíssimo Topo Chiado. E temos de assumir com toda a frontalidade: ficámos absolutamente rendidos aos magníficos 1500 metros quadrados de terraços com uma vista deslumbrante: com o castelo de São Jorge em frente, o elevador de Santa Justa à direita e a Sé e a Graça ao fundo, é, sem sombra de dúvidas, uma das melhores vistas de Lisboa.

IMG_8492 (1).jpg

 

 

o almoço mais fresco do verão: tártaro de salmão com queijo fresco e wasabi, uma receita fácil, deliciosa e muito light

20160809_210145.jpg

Há poucas receitas mais agradáveis no Verão do que o maravilhoso tártaro de peixe: fresco, doce, ácido, salgado e picante, consegue juntar quase todos os sabores num prato leve e dietético. Uma das teorias sobre a invenção deste prato foi publicada na prestigiada revista The Atlantic em 2010. Supostamente, um dos primeiros peixes a ser servido cru nos Estados Unidos terá sido um atum, em 1984, no restaurante Chaya Brasserie, em Beverly Hills.

O Chaya tinha acabado de abrir e apresentava um menu de degustação onde o prato mais famoso era o bife tártaro. Um dia, um grupo de seis clientes pediu ao chef para substituir o bife tártaro por outra coisa que não tivesse carne. O chef era Shigefumi Tachibe, um japonês criado em França que conhecia bem o sushi então praticamente inexistente no mundo ocidental.

Tachibe entrou na cozinha a correr, sem saber bem o que preparar, e a primeira coisa que viu à frente foi uma óptima posta de atum: "Era parecida com carne e era gorda como a carne vermelha". Foi por isso que se lembrou de improvisar um bife tártaro com atum. Cortou o peixe em cubos, preparou um molho com a mesma maionese servida com o bife tártaro e provou: "Estava óptimo", relembra. O prato fez um sucesso tão grande que começou a ser pedido por vários clientes – até que foi incluído na ementa.

Cá em casa, a minha querida Mulher Mistério prefere sempre o salmão ao atum, mas não dispensa uma refeição de tártaro por semana. Ontem preparámos esta deliciosa receita improvisada que mistura o peixe (gordo e saboroso) com queijo fresco (suave e macio) e um molho de lima, soja e wasabi (salgado, frutado e picante que corta a gordura do peixe na perfeição). Vai ver como é fácil de fazer e saudável de comer.