Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

há dois tipos de pessoas neste mundo… qual delas é você?

Os seres humanos são complexas criaturas, mas muitas das nossas diferenças podem ser resumidas numa simples e binária distinção. O Zomato, um site para “foodies”, aka fãs de restaurantes, criou uma série de infografias que ilustram bem algumas das nossas preferências e, de certa forma, definem-nos. Obviamente que as pessoas não são assim tão simples: nem todos somos só água nem só vinho, mas é sempre divertido percorrer esta lista e tentar perceber em qual dos lados da linha divisória nos situamos. Ou será que não pertence a nenhum?

 

 

osteria: um restaurante barato, alegre e surpreendente para este fim-de-semana

Esqueça tudo o que sabe sobre restaurantes italianos e, especialmente, esqueça tudo o que já ouviu falar sobre lasanhas. Isto é completamente diferente. Os nomes e as noções podem ser as mesmas, mas o que vai sentir quando se sentar na Osteria (que abriu no ano passado na Madragoa, em Lisboa) é uma verdadeira revolução cultural, financeira e gastronómica.

 

 

é aqui que as hospedeiras dormem durante os voos

Bom, nem todas as hospedeiras. O Huffington Post tentou desvendar um dos maiores mistérios da humanidade: se as hospedeiras chegam a andar mais de 11 quilómetros por voo (a média foi divulgada pela companhia aérea Virgin Atlantic), onde é que elas descansam nas viagens mais longas? Sentadas numa cadeira? Deitadas no chão? A dormirem em pé?

As respostas variam consoante o avião. A Boeing respondeu à pergunta do Huffington Post e enviou mesmo algumas imagens dos quartos reservados aos assistentes de bordo no seu novo avião 787 Dreamliner – e que os passageiros nem imaginam que possam existir.

 

 

14 receitas de chips saudáveis e originais para substituir as maléficas batatas fritas

O regresso à rotina significa, sobretudo para mim, o regresso à inevitável dieta. E dieta que se preze ostraciza essa tentação do demo que dá pelo nome de batatas fritas. Por isso, quando descobri no Buzz Feed uma seleção de chips para substituir aquela imensa fonte de calorias, rejubilei, que é como quem diz, fiz um flick flack em frente ao computador. Confesse lá: olhe bem para estas receitas. Não fica com água na boca?

 

1 - Chips de Cenoura e Canela com Molho de Iogurte e Mel

São ou não são uma maravilha? Que aspeto delicioso. A receita original está aqui.

 

 

e se um empregado o trata como um insignificante minion? isso é... a nova casa da comida

Quando a meio de uma conversa com outra pessoa, a empregada o interrompe para lhe explicar alguma coisa com um:

- Posso?!...

O que é que os meus amigos fazem? Atenção, não é:

- Posso?

É:

- Posso?!...

Com ponto de exclamação e reticências. Ou seja com aquele suspiro meio maçado de quem vai fazer o favor de explicar a um ignorante aquilo que ele devia saber. É aquele "Posso" que implica um arquear aborrecido das sobrancelhas, como fazia a sua professora de Matemática da quarta classe. É aquele "Posso" que no fundo quer dizer:

- E se te calasses para eu poder explicar? Era capaz de não ser má ideia, pois não, meu badameco...

Não sei se era empregada, se era gerente ou se era dona do restaurante. Mas parecia seguramente ser a Sultana do Brunei.

 

 

tartines de figo, presunto, queijo de cabra e mel

Estava a precisar de uma boa notícia para lhe animar estes dias de chuva, não era? Bom, eu estava. E como já percebi que não posso contar com o Benfica para me animar os dias este ano (pelo menos, com o Artur, não seguramente), virei-me mais uma vez para a natureza. Como é habitual, não fui propriamente contemplar a paisagem. Preferi contemplar as árvores – de figos.

 

 

como descascar uma maçã em 3 segundos com um berbequim

Já sei. Não troco lâmpadas, não penduro quadros, não furo paredes. Bricolage não é o meu forte. Nem sequer o meu fraco. Simplesmente, não é. Mas agora isso vai mudar. Desde que descobri no Handimania a melhor e mais rápida forma de descascar maçãs. E qual é essa forma? Com um berbequim na mão.

 

chegou a colher que derrete o gelado na hora de servir e... de comer, pois claro!

É o Rolls-Royce dos gelados, o Philippe Starck do design, o iPod da inovação. Chegou a melhor e mais inovadora colher de gelados do Mundo. Desenhada pelo arquitecto e designer japonês Naoki Terada, tem uma característica que a distingue de todas as outras: aquece ligeiramente o gelado quando está em contacto com a sua mão. Ou seja, acabou aquele pesadelo de ir ao congelador com desejos imediatos de uma bola de chocolate e ter de colocar a caixa durante uns segundos no microondas porque o gelado está duro como pedra.

 

 

e que tal um chá gelado e um doce caseiro para o lanche?

Levanta-se às 7h da manhã, passa um dia inteiro à frente do computador, atura a má disposição do chefe e a incompetência do colega do lado e, quando sai para voltar para casa, ainda está a chover?! O que é que se passa, meu Deus?! Como diz o Woody Allen, se Deus de facto existe, é bom que tenha uma óptima desculpa para tudo isto.

Mas não desanime. Nós temos uma pequena ajuda para alegrar o seu dia. Antes de virar para casa, faça um pequeno desvio, vá até à Avenida de Paris, 17-A, ao lado da Praça de Londres, em Lisboa, e experimente um dos maravilhosos chás frios que estão ali à sua espera. Se a chuva já tiver parado, sente-se na pequena esplanada da Empório do Chá, numa das simpáticas mesas de madeira por baixo de um dos enormes chapéus de sol e respire fundo enquanto ouve os pássaros a cantar. Se a chuva continuar, fique do lado de dentro e peça um dos fantásticos bolos caseiros para acompanhar.

 

 

como descascar uma cabeça de alho inteira em menos de 10 segundos

Eu sei que um bom chef tem de estar disposto a sujar as mãos e, mais importante ainda, tem de ter um certo prazer em deitar-se na cama à noite com as mãos a cheirarem a alho ou a refogado. Pois bem, meus amigos, tenho de lhes confessar alguma coisa que vem das profundezas mais sombrias da minha alma: odeio mãos al ajillo – aquele cheiro que não sai nem à 37ª lavagem de mãos em modo anti-gripe A, aquele pesadelo que nos acompanha durante dias e dias sem fim. Não gosto. E confesso que muitas vezes usei a minha autoridade paternal para obrigar as crianças cá de casa a descascarem alho ou cebola.

Agora, finalmente, encontrei a solução que vai resolver os meus problemas de vez. E perante o cepticismo habitual contra dicas fáceis e simples, atiro apenas com um nome: Saveur. A Saveur é a melhor revista de gastronomia do mundo. Por isso, quando vejo um conselho da Saveur, benzo-me com a mesma convicção com que um acólito segura no missal. E este conselho não vem apenas da Saveur, vem do editor executivo de Comida da revista.

 

 

salada tropical para este clima de chuva e calor

Desde que, na semana passada, Lisboa se transformou na capital do Tahiti que penso na melhor maneira de adaptar a comida cá em casa ao clima tropical. Hoje, levantei-me cedo e fui ao mercado. Esperava encontrar tahitianas com coroas de flores na cabeça, mas o mais exótico que consegui foram umas peças de fruta bem maduras. Cheguei a casa, vesti a minha camisa florida e fui para a cozinha. 

 

 

quem quer comprar o apartamento mais caro do mundo?

Situa-se no Mónaco (claro, where else?) e custa só 300 milhões de euros. Tem uma piscina panorâmica com um escorrega que mais parece que vamos mergulhar no infinito (que a mim me dá umas vertigens de morrer) e ocupa apenas cinco andares da magnífica torre Odéon. O apartamento de luxo está no topo do maior arranha-céus do principado, com uma vista deslumbrante sobre o Mediterrâneo. São 3500 metros quadrados de uma casa que ocupa os andares que vão do 45º ao 49º e fica 170 metros acima do nível do mar.

 

 

onde ir jantar hoje enquanto vê o festival da luz em cascais? à confraria, pois então

Faz parte dos meus sonhos mais picantes. E, não, ainda não transformámos o Casal Mistério numa versão online do Cinema Erótico da CMTV. Estou a falar de comida – exótica, surpreendente, deliciosa e, de vez em quando, também picante.

A Confraria é um dos meus restaurantes japoneses preferidos. Em primeiro lugar, pela frescura do animal (neste caso, o peixe). Depois pela decoração do espaço. E, finalmente, pela simpatia das empregadas (daqui a nada já explico porque é que uso o feminino). Tudo isto junto faz da Confraria um dos poucos restaurantes que me dá, às vezes, um daqueles ataques de desejo típicos da gravidez. Podem chamar-me Félix, Bicha Má para o resto da vida. Mas se for esse o preço a pagar para comer na Confraria quando de repente me apetece, estou disposto a pagá-lo.

Há Confraria em Lisboa (no Lx Boutique Hotel) e há Confraria no Mercado da Ribeira, mas a original é a Confraria de Cascais. Ainda por cima com o Lumina-Festival da Luz a decorrer na vila, não há qualquer dúvida. Corra já para o telefone e marque uma mesa na esplanada do restaurante. Se hoje já não houver lugares lá fora, marque para amanhã ou para domingo. Vai ver que vale a pena esperar pela esplanada. 

 

 

burger king lança hambúrguer preto no japão

 

Não, o pão não está queimado. É só o novo hambúrger gótico do Burger King. Esta novidade bizarra do menu da famosa cadeia de fast food tem pão preto, queijo preto e molho preto. Confesso que me parece mais o resto de um hambúrguer estorricado no churrasco da semana passada.

 

 

novidade! novidade! abriu em cascais uma esplanada de tapas e saladas que vira bar à noite

Sinto-me cada vez mais um insignificante liliputiano a olhar embasbacado para as maravilhas que estão a abrir à minha volta. E, quando falo de maravilhas, falo de restaurantes, hotéis e bares, claro. A última grande descoberta aconteceu em Cascais, onde este fim-de-semana decorre o Lumina-Festival da Luz, que pode conhecer aqui. E chama-se Magis Placet-The Lounge, Magis para os amigos. Apesar do nome, típico de um alfarrabista especializado em livros de latim, é um bar que também é restaurante que também é museu e que também é uma esplanada fantástica.